Ética Jornalística merece destaque

A obrigatoriedade do diploma é uma questão relevante, mas não devemos nos prender somente a ela, pois existem outras que merecem destaque como a ética jornalística


Em meio a tanta informação, poucas foram às vezes em que se parou para refletir, nos meios de comunicação, sobre a profissão de jornalista. Eis que não tenho esta pretensão, pois quem sou eu para fazer tal reflexão. O que pretendendo com este texto é apenas expor como vejo o ambiente jornalístico a partir daquilo que me é apresentado na faculdade e através dos jornais.

A obrigatoriedade do diploma é ainda o tema central quando se fala de jornalismo. É um debate válido, mas que desvia o foco de uma discussão que é muito mais séria: a ética jornalística. Em relação a esta, é necessário uma discussão mais aprofundada pelos próprios jornalistas afim de melhor lidarem com situações complexas que rotineiramente ocorrem no exercício da profissão.

O jornalismo não é uma profissão fácil, podemos perceber isso se pararmos para analisar os embates éticos que diversas vezes os jornalistas se deparam. São conflitos de interesses que comprometem a liberdade de expressão. Há situações em que os interesses de pessoas ou entidades querem impedir que uma determinada informação seja publicada. O que fazer diante de casos assim?

Não há uma fórmula objetiva que ajude o jornalista nestes casos. O jornalista precisa ser bem formado para lidar com situações assim, pois, se for um jornalista inexperiente e sem formação, a possibilidade de fazer escolhas que podem ter graves consequências é maior. O profissional precisa conhecer a experiência de profissionais que já se depararam com problemas complexos, mas que conseguiram resolvê-los da melhor forma.

Pesquisadores como Bill Kovach e Tom Rosenstiel defendem que “a principal finalidade do jornalismo é fornecer aos cidadãos as informações de que necessitam para serem livres e se autogovernar”. O jornalista precisa ter em mente que seu compromisso é, antes de tudo, com o direito à informação dos cidadãos. Eugênio Bucci, Doutor em Comunicação, adverte que a ética jornalística existe porque a comunicação social é lugar de conflito. Este se dá entre os interesses do público leitor e do público anunciante de um mesmo jornal.

A credibilidade de um veículo jornalístico vai ao encontro da ética dos profissionais que nele trabalham. Mas o que é ética no jornalismo? Bill Kovach e Tom Rosenstiel escreveram um livro chamado Os Elementos do Jornalismo em que eles elencam alguns pontos essenciais para o exercício da profissão. Estes pontos nos ajudam a compreender como o jornalista deve proceder em sua profissão. Os autores falam da ética jornalística, da função do jornalismo, da apuração jornalística, do direito à informação, do jornalismo como observador do poder político, da importância dos fatos para serem noticiados... É um livro que faz uma análise do cenário jornalístico americano no final do século XX e que trata de questões relevantes para todos os profissionais de jornalismo.

A obrigatoriedade do diploma é, de fato, uma questão importante, mas não podemos esquecer outras que têm a mesma, ou até maior relevância, como a ética jornalística. O debate sobre este tema por parte dos profissionais é importante para, de certa forma, aperfeiçoar a atividade jornalística. O debate precisa existir para além das universidades e precisa da participação da maior parte de jornalistas, que estão no mercado de trabalho, pois são eles quem melhor conhecem os casos a serem discutidos. Não tenho a pretensão de fazer uma reflexão sobre a questão, mas chamo a atenção para que o tema seja discutido por aqueles que têm propriedade para falar.

Imagens da Internet