Jennifer | Cap. 1 - Encontro com o Passado


- Você fala como se me conhecesse.
- Mas eu conheço você muito bem.
- Não. As pessoas mudam.
- Você não muda. Você é a mesma pessoa. Está apenas com uma “roupa nova”.
- Não. Não é isso. Você não entende.
- Entendo sim. Você quer ser aceita, quer esquecer o passado, cortando suas relações com seus amigos. Você pode deixar de falar comigo, mas eu faço questão de lembrar você do seu passado. Talvez assim você volte ao normal.

Muito questionada pela conversa, ela resolveu silenciar. Não tinha mais respostas para dar. Acolheu com dor tudo o que ouviu. Demétrio continuou a falar dos momentos que os dois passaram juntos. Depois que conseguiu colocar para foro tudo o que queria, ele mesmo percebeu que havia pegado pesado. Constrangido, o amigo resolveu ir embora, deixando Jennifer sentada no banco da praça sozinha. Jennifer queria bater de frente com Demétrio, mas ela não conseguia. Ela não era mais aquela que se defendia de tudo e de todos armada com duras palavras. “Será que eu sou a mesma?”, “Será que eu estou me enganando?” e “Será que estou querendo somente ser aceita?”. Com esses questionamentos, Jennifer tentava compreender qual rumo sua vida estava tomando. Sem resposta, decidiu ir embora. No caminho, Jennifer começou a pensar sobre tudo que escutou.

- Eu vivi uma experiência que foi muito forte. Eu não compreenderei a dimensão dessa experiência nunca.  Reconheço que tenho muito para aprender. Os questionamentos que o Demétrio me fez são reais, não posso negar nenhum. O meu passado, juntamente com as vivências negativas pelas quais eu passei, faz parte da minha história. Mas agora o que é mais importante para mim? Será que devo me comportar a partir de como os outros me olham? Será que devo agir de uma forma que agrade aos outros? Eu quero ser livre e ser livre é fazer o que eu acredito que me faz feliz. As pessoas podem mudar sim. Hoje eu não sou a mesma de ontem. Há quem escolha mudar para melhor ou mesmo para pior. Eu quero ser a cada dia melhor. Tudo o que o Demétrio me fez lembrar hoje não define quem eu sou, mas expressa o quanto sem rumo eu estava.

Demétrio tinha aproveitado o final da tarde para caminhar na praça perto de sua casa. De longe, ele avistou Jennifer fazendo panfletagem. Ele não a via há mais de cinco anos. Os dois estudaram juntos no Ensino Médio. Demétrio, ao concluir, teve que se mudar. Desejava marcar algo com Jennifer, mas tinha receio, pois eles passaram a se falar pouco por conta da distância. A última vez que se viram foi na parada de ônibus. Trocaram algumas breves palavras e se separam. Jennifer estava apressada.

Ao chegar em casa, Demétrio sentou-se no sofá e por alguns instantes fechou os olhos. Ele não queria pensar em nada, mas as palavras que falou para Jennifer pareciam uma música que tocava no volume máximo dentro de si. Mexeu-se e retirou do bolso o panfleto que ela lhe dera. Olhou como quem não estivesse acreditando no que estava vendo. De repente, seu celular vibrou. Era uma mensagem de Jennifer: “Oi preciso falar com você”.